Cobertura PANLAR 2023
Escuchar
Pause
Play
Stop

O Hilton Seda, o reconhecimento da vida de quem escreveu parte da reumatologia no Brasil

Por : Estefanía Fajardo
Periodista científica de Global Rheumatology by PANLAR.



31 Maio, 2023

https://doi.org/10.46856/grp.27.ept177
Cite as:
Fajardo E. O Hilton Seda, o reconhecimento da vida de quem escreveu parte da reumatologia no Brasil | Global Rheumatology. Vol 4 / Ene - Jun [2023]. Available from: https://doi.org/10.46856/grp.27.e177

"No Congresso PANLAR 2023, a Medalha Aníbal Ruiz Moreno foi entregue ao professor Hilton Seda, quem é lembrado por muitos como um guia acadêmico e pessoal."

Visualizações 340Visualizações

E- ISSN: 2709-5533
Vol 4 / Jan - Jun [2023]
globalrheumpanlar.org

Cobertura PANLAR 2023

O Hilton Seda, o reconhecimento da vida de quem escreveu parte da reumatologia no Brasil

Autor: Estefanía Fajardo: Jornalista de ciência para Reumatologia Global por PANLAR, estefaniafajardod@gmail.com

DOI: https://doi.org/10.46856/grp.27.ept177

Cita: Fajardo E. O Hilton Seda, o reconhecimento da vida de quem escreveu parte da reumatologia no Brasil | Global Rheumatology. Vol 4 / Ene - Jun [2023]. Available from: https://doi.org/10.46856/grp.27.e177

Data de Publicação: 31/ Mayo/ 2023


Fazendo parte da história, do antes e do agora. Ser lembrado não só pelo que fez como profissional, mas pelo que marcou como pessoa e pelo legado que construiu ao longo da sua vida não é tarefa para qualquer um. E foi conseguido por um reumatologista da PANLAR.

O professor Hilton Seda “atravessa gerações desde a criação da Sociedade Brasileira de Reumatologia, em 1949, da qual não foi fundador, por um motivo simples: na época, ainda era aluno do curso de Medicina da Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil. Mas logo após terminar o curso, em 1950, já participava do grupo liderado pelo Waldemar Bianchi, o Pedro Nava, o Israel Bonomo, Décio Olinto, Herrera Ramos, em igualdade de condições”, diz a Dra. María Aparecida Celestino Madeiro.

Ele é Mestre em Reumatologia Pan-Americana (2006), membro emérito da Academia Brasileira de Reumatologia, foi presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia e fundador da Revista Brasileira de Reumatologia.

Este ano, no marco do Congresso PANLAR 2023 realizado no Rio de Janeiro, foi Seda, o mestre, professor, médico, pesquisador, amigo, colega e companheiro de muitos, quem recebeu o prêmio Aníbal Ruiz Medalha Escura.

“Não só a Reumatologia, mas a Medicina deve muito a ele. Todas as homenagens a este professor serão insuficientes por quanto ele representa”, afirma Dr. Madeiro.

Distinguido professor, esteve na Escola de Pós-Graduação em Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde formou uma legião de reumatologistas de todo o Brasil, sendo professor titular de 1969 a 2006 e elevado à categoria de professor emérito em 2007.

- Trabalhou diligentemente para as publicações científicas da Sociedade Brasileira de Reumatologia e Sociedade de Reumatologia do Rio de Janeiro.

- Professor Emérito da Universidade Federal da Paraíba.

- Membro Honorário da Sociedade de Reumatologia de Alagoas

- Membro honorário da Academia Nacional de Medicina, por indicação do académico Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro.

É inspirador ouvir sobre o professor Seda e as suas contribuições para a reumatologia, bem como para a vida de quem o conhece. A sua sabedoria, serenidade, nobreza, simplicidade e bondade são valores que o destacam como uma pessoa única e admirável.

A sua capacidade de combinar ciência e arte e a sua dedicação ao aprendizado constante são especialmente notáveis. A Medalha Aníbal Ruiz Moreno que lhe foi atribuída no PANLAR 2023 é um merecido reconhecimento do seu percurso e contributos para a especialidade.

E que melhor maneira de prestar homenagem do que com aqueles que estão perto de você. Por isto, a Dra. Maria Aparecida Celestino Madeiro, atual presidente da Sociedade Alagoana de Reumatologia e mais que aluna, amiga do Dr. Seda, conta sobre ele e a suas contribuições para a profissão, mas também para a vida daqueles que o conhecem.

Como você conheceu ao professor Hilton Seda?

Eu o conheci como aluna, tive a oportunidade de tê-lo como professor. A minha admiração cresceu ao conhecê-lo como professor e amigo, conselheiro, com a sua presença marcante e solidária na alegria e na dor.

Qual foi o melhor ensinamento que o Dr. Seda lhe deu?

Costumo dizer que não fui apenas a sua aluna, pois, na verdade, o professor Seda não tem ex-alunos, mas uma legião de alunos e eternos admiradores, em cujas fileiras me orgulho.

Sem dúvida, sabedoria, serenidade, nobreza, simplicidade e gentileza foram, em 

Como você descreve ao Dr. Seda para aqueles que não o conhecem?

O Professor Hilton Seda é um ser humano único, de uma inteligência e sensibilidade invulgares, aliadas a uma dignidade e a um poder de síntese que o distinguem dos demais.

O Hilton Seda é um homem distinto no sentido perfeito da palavra. Conhecedor da ciência e da arte, fluente na sua língua materna, assim como em vários idiomas, um verdadeiro sábio: médico, professor, escritor, pesquisador, pintor, poeta, leitor atento e voraz, ser iluminado, resplandecente. Distinto, cuja marca é a simplicidade despojada de qualquer sinal de vaidade.

No PANLAR 2023, foi agraciado com a Medalha Aníbal Ruiz Moreno. Quais são os principais valores humanos e médicos para este reconhecimento?

Ele é um sábio. Sem fazer alarde, consegue agregar colegas de todo o mundo, é respeitado por todos, atinge o patamar da sabedoria plena. "Os reumatologistas são uma fraternidade unida pela ciência e pelo coração", como dizia o Dr. Ruiz Moreno em 1941. A reumatologia homenageia e agradece com devoção a este atento fazedor de história.

 

enviar Envía un artículo