O impacto da pandemia covid-19 nas consultas de reumatologia

Para :
    Estefanía Fajardo
    Periodista científica de Global Rheumatology by PANLAR.

13 Agosto, 2021
views 159views

Uma análise de pacientes imunossuprimidos, tratamentos e o curso de covid-19 em pacientes com doenças reumatológicas será apresentada no PANLAR 2021.


 

Transcrição

 

EF: Olá a todos e bem-vindos a um novo videoblog de Global Rheumatology, onde faremos uma série de entrevistas sobre o que será o Congresso PANLAR 2021. Nos encontramos com a Dra. Cristiana Sieiro. Doutora, seja bem-vinda.

 

CS: Muito obrigada.

 

EF: Doutora, diga-nos, qual a apresentação que você fará no PANLAR 2021?

 

CS: Bem, vou apresentar o nosso trabalho com os nossos pacientes, que vemos na consulta e um pouco sobre o impacto que a pandemia do covid teve na consulta de Reumatologia.

 

A ideia era um pouco, no início falava-se muito sobre se os pacientes imunossuprimidos tinham risco de ter mais complicações ou um curso um pouco mais grave de uma doença por covid. Então, o nosso objetivo era um pouco tentar olhar para os pacientes que faziam terapia biológica e tinham um risco maior por estar tomando este tipo de medicamento e, enfim, era curioso porque vimos que se falava muito sobre a tempestade de citocinas e que os tratamentos reumatológicos são muito úteis nos pacientes com covid. E o que se percebeu é que existem tratamentos que podem até proteger aos pacientes dessas complicações e da tempestade de citocinas que vemos na doença pelo covid.

 

EF: Quais são essas descobertas que foram apresentadas e com quantas pessoas essa análise foi feita?

 

CS: Bom, basicamente a gente recolheu os pacientes que a gente tinha na consulta, que eram 820 pacientes e o que a gente percebeu foi que muita medicação, muitos dos pacientes que tinham PCR positivo ou teste de antígeno positivo, nós analisamos esses que estavam sob tratamento biologico e vimos que os pacientes que tiveram covid e que foram hospitalizados por covid, que tiveram um curso um pouco mais grave, estavam recebendo tratamento com rituximab, que é um inibidor de CD20, e tratamentos como inibidores da interleucina-6, como tocilizumab e sarilumab, que poderiam, de alguma forma, proteger esses pacientes. Então, estes pacientes tinham um valor de proteção significativo.

 

EF: Você vai continuar fazendo um estudo a posteriori sobre este assunto? Ou o que segue neste processo?

 

CS: Fizemos vários estudos com os nossos pacientes aqui em León, porque a verdade é que tivemos muita gente internada no nosso hospital pelo covid. Devo dizer que não tivemos muitos pacientes com doenças reumáticas internados, o que tínhamos sim, porque a mortalidade não foi tão alta quanto a gente esperava, porque a princípio nos assustou um pouco. Estamos falando de pacientes imunossuprimidos e o normal é que, claro, uma pandemia desta dimensão, pensamos que poderia haver um aumento da mortalidade, mas o que fizemos é que continuamos recolhendo estes pacientes.

 

E além disso, no que a gente está se dedicando agora é olhar a resposta que eles estão tendo com a vacinação, porque este também é um assunto que está muito na moda. Se pacientes que estão em tratamento biológico e dão a resposta que deveriam fazer tanto ao nível dos anticorpos como ao nível da resposta celular, estes são medicamentos, que enfim, já se sabe que muitas vezes podem diminuir a eficácia da vacinação, já foi observado que com as vacinas contra gripe e pneumocócica sim, podem diminuir a eficácia, e é curioso porque como reumatologistas, no início da pandemia, não sabíamos muito bem como proceder, os nossos pacientes tinham muito medo, eles perguntaram se precisavam continuar com a medicação biológica e não havia diretrizes claras. Acho que aqui na Espanha no início se falava em continuar com a terapia biológica, depois surgiram as diretrizes do ACR que falavam um pouco sobre os pacientes que estavam em tratamento com rituximab tendo que interromper estes tratamentos. Então é curioso, porque claro, estamos falando de pacientes que estão em tratamento e que podem estar em risco tanto da doença, quanto no caso de vacinados, não desenvolverem a proteção que têm para desenvolver.

 

EF: Doutora, qual é o convite para todos os que estão assistindo a esta entrevista virem conhecer todos estes resultados de todas estas investigações e também entrarem em todo o programa científico do PANLAR 2021?

 

CS: Da Espanha, de León, convido vocês a estar presentes e a participarem. Parece-me pelo programa que vai ser um congresso de alto nível e vamos falar de coisas muito interessantes. Acho que é de grande interesse tanto para quem gosta de Reumatologia, como para pessoas de outras especialidades, por isso convido-os a participarem.

 

Vamos falar muito sobre o covid, que agora está muito na moda, mas, a Reumatologia, eu acho uma especialidade muito, muito interessante e com certeza ficarão encantados em participar. É a primeira vez que participo, no ano passado participei como auxiliar, por isso este ano estou muito contente por ter a oportunidade de estar presente e de contar um pouco sobre o trabalho que realizámos ao longo deste ano.

 

EF: Muito obrigada por este espaço para a Global Rheumatology.

 

CS: Obrigada a você

enviar Envía un artículo