Resumo do 5 Congresso Pan-Americano de Pacientes com Doenças Reumáticas

Por :
    Estefanía Fajardo
    Periodista científica de Global Rheumatology by PANLAR.

26 Agosto, 2022
https://doi.org/10.46856/grp.27.ept137
views 287views

Um esforço conjunto entre pacientes e médicos, bem como o que se vislumbra para o futuro e as expectativas na tomada de decisão conjunta fazem parte da análise realizada pelo Dr. Leandro Ferreyra.


 

EF: Olá a todos e bem-vindos a um novo videoblog da Global Rheumatology, onde faremos um tour por tudo que tem sido o PANLAR 2022, hoje falaremos pontualmente sobre o que é o Congresso de Pacientes, e para isso estamos com o Dr. Leandro Ferreira. Doutor, bem-vindo.

LF: Olá, Estefânia. Como vai? É um prazer participar novamente nisto, que é o resumo do que foi o Congresso Pan-Americano de Pacientes PANLAR 2022.

EF: Doutor, conte-nos quais temas foram trabalhados no Congresso de Pacientes?

LF: A verdade é que foi um congresso muito emocionante, foi um dia cheio. Foi dividido em dois, no qual tivemos duas plenárias e quatro simpósios. A verdade é que foi uma informação muito importante para todos os pacientes, passamos por questões de osteoartrite, lúpus, artrite reumatoide, depois na artrite psoriática. A verdade é que todos os tópicos necessários para pacientes com doenças reumáticas na América Latina foram abordados.

Tivemos duas plenárias neste congresso, a primeira plenária foi sobre medidas relatadas pelo paciente, o que foi realmente muito bom. É escutar de certa forma o que o paciente nos fala e isso serve também para o que é pesquisa, para o que é informação, para o paciente, e para desenvolver a relação médico-paciente e a tomada de decisão compartilhada. A verdade é que este simpósio, que foi o primeiro que o Congresso abriu, foi fantástico.

O segundo simpósio foi ao meio-dia e foi sobre como a tecnologia pode ajudar aos doentes, e a verdade é que o Dr. César Graff com tudo o que é o desenvolvimento da impressão 3D também nos fascinou a todos nessa palestra, e também tivemos uma palestra sobre o uso das redes sociais e que a tecnologia pode nos ajudar com os pacientes, a verdade é que foi muito bom.

Depois foram quatro simpósios de autocuidado onde a orientação geral foi a estrela deste simpósio, foi muito bom. Também vimos obviamente atualizações sobre o que há de novo em diferentes doenças, outro simpósio sobre avanços e tratamentos e outros simpósios sobre comorbidades. Na verdade a informação desenvolvida neste congresso de pacientes foi fantástica,

EF: Qual a importância destes espaços?

LF: A verdade é que estes espaços desenvolvidos entre médicos e pacientes, porque isto também deve ser dito, foram desenvolvidos por médicos e pacientes, com a plena participação dos pacientes neste congresso. O desenvolvimento destes espaços é muito importante para demonstrar a todas as pessoas que têm doenças reumáticas que têm um papel importante na sua doença, no que vão usar como tratamento, na forma como querem viver a sua vida com uma doença reumática, e a verdade é que estes espaços são muito importantes.

EF: Quais são os desafios que enfrentam as decisões compartilhadas e a educação do paciente?

LF: A medicina está mudando nestes anos. E ressalta-se que o centro é o paciente, o paciente é quem decide sempre guiado pelo médico, sempre acompanhado, é isso que a gente almeja. No futuro teremos um número maior de doenças crônicas, uma porque a medicina está melhorando e a outra porque a expectativa de vida está aumentando, e nós, como médicos e como pacientes especialistas, temos que ajudar nisso, na melhoria da qualidade de vida e uma das coisas que temos que fazer é educar as pessoas com doenças reumáticas. Um paciente educado é um paciente que certamente estará muito bem.

EF: E precisamente da palavra futuro, que equilíbrio nos deixa o Congresso dos pacientes com vista ao futuro, que desafios coloca também?

LF: Olhando para o futuro, se participarmos juntos e trabalharmos como uma equipe médica e paciente, paciente e médico, tenho certeza de que no futuro teremos muitos benefícios melhores do que os que tivemos até agora. Precisamos de um paciente empoderado, um paciente que conheça a sua doença, um paciente com quem possamos compartilhar decisões, torná-lo participante do seu tratamento. Este é o melhor benefício que podemos oferecer aos nossos pacientes.

EF: Doutor, muito obrigada por toda esta análise para este resumo do Congresso de Pacientes e não sei se você tem mais alguma coisa a acrescentar.

LF: Convidar a todos para participar de todas as atividades do PANLAR para pacientes, da ASOPAN, que é a associação de pacientes que esteve na organização deste congresso. Convidá-los para participar das associações de todos os países da América Latina que existem para pessoas com doenças reumáticas, obviamente eles podem acompanhar a transmissão ou podem ver o Congresso no site pacientespanlar.org e também, bem, convidá-los no próximo ano para o nosso próximo Congresso de pacientes com doenças reumáticas que acho que vai ser na América do Sul, acho que vai ser no Rio. Vejo vocês no Rio.

EF: Doutor, muito obrigada e tenha um bom dia.

LF: É um prazer cumprimentar a todos vocês.

 

Todas as conferências do Patient Congress estão disponíveis em: Playlist YouTube

enviar Envía un artículo