Ciência Panlar
Escuchar
Pause
Play
Stop

Clubes de revistas na era digital

Para : Estefanía Fajardo
Periodista científica de Global Rheumatology by PANLAR.



17 Setembro, 2020

https://doi.org/10.46856/grp.21.e009

"Os clubes de revistas há muito são um dos pilares do ensino médico e acadêmico"

Visualizações 327Visualizações

Os clubes de revistas há muito são um dos pilares do ensino médico e acadêmico. Um grupo de pessoas se reúne para discutir os méritos e os fracassos de uma publicação recente de interesse para aqueles que fazem parte desse grupo. Isso é feito regularmente e reúnem pessoas com diferentes níveis de experiência e funções, gerando juntas um aprendizado para a prática médica e permitindo que alunos e participantes se mantenham atualizados com as informações mais recentes e importantes sobre um determinado assunto.

 

Os clubes de revistas têm uma longa tradição como uma forma de educação médica. O William Osler organizou (1) um em 1875 na Universidade McGill, mas há evidências de que já na Europa (Alemanha e Inglaterra) eram realizados regularmente.

 

Isso é evidente dentro da comunidade, mas um clube de jornal no Twitter? Um passo à frente do usual e que gera uma aproximação mais profunda com quem se interessa por determinado assunto.

 

O que sabemos é que, geralmente, um grupo se reúne e discute os resultados, metodologia, os pontos fortes e fracos da publicação de uma pesquisa de interesse ou outro tópico específico. Estas trocas oferecem a oportunidade de ensinar a avaliação crítica da literatura, assim como de manter os médicos atualizados com a medicina baseada em evidências.

 

A PANLAR Jovem, a rede juvenil da Liga Pan-americana das Associações de Reumatologia (PANLAR) (https://www.panlar.org/red-de-jovenes-reumatologos-panamericanos) decidiu ir mais longe e se apropriar das redes sociais .

 

“Desde o início do grupo PANLAR Jovem, um dos principais objetivos é fornecer informação, atualização e divulgação dos estudos que são desenvolvidos nos países que fazem parte do PANLAR. Conhecendo as experiências dos grupos de jovens reumatologistas de outras partes do mundo, decidimos realizar periodicamente estes clubes de revistas por meio de uma rede social que nos permite a dinâmica deste tipo de atividades. O Twitter permite essa dinâmica e é daí que vem o nome Twitter Journal Club (TJC) ”, explicam os membros do PANLAR Jovem.

 

Se já está claro, e é assim há anos, como é da “forma tradicional”, a questão agora é como você faz um clube de jornal no Twitter?

 

Seguindo o exemplo de alguns grupos que se formaram no Twitter em especialidades como Reumatologia, por exemplo, RheumJC (2015) (2) ou Emeunet (2017) (3) que é um grupo de jovens da EULAR, nasceu o PANLAR.

 

Em uma primeira instância, um grupo de coordenadores decide a frequência das reuniões. O objetivo não é saturar de informações, mas não perder o ritmo da atividade. Por isso, ressaltam, o ideal é que seja a cada dois meses, mas isso pode variar dependendo da publicação de estudos de interesse ou de como isso ocorre neste período da pandemia e da grande atividade acadêmica virtual.

 

“No grupo coordenador fazemos reuniões virtuais frequentes e sugerimos assuntos prováveis ​​para o seu desenvolvimento, uma vez escolhidos combinamos quem será o coordenador da sessão, que varia a cada encontro para que participem todos os interessados. Geralmente, há um responsável pela atividade do grupo PANLAR Jovem e um especialista convidado da PANLAR”, afirmam. Uma vez decidido o tema, é elaborada uma guia de perguntas sobre o tema ou artigo que será abordado e a divulgação é feita por meio de publicações no Twitter e outras redes sociais convidando para participar no dia e horário acordados.

 

A coordenação do TJCPANLAR é feita com esforço e muita dedicação, afirmam. Tudo começa com a escolha do tema, a escolha do coordenador e a publicação do convite para a participação ativa durante o clube da revista.

 

Todos os reumatologistas, sejam eles da PANLAR Jovem ou não, podem participar desta abordagem, podem até participar de outras regiões, pois é aberto aos interessados ​​e estes interagem no Twitter. Outros profissionais da saúde que fazem parte do atendimento ao paciente reumático também podem participar, mesmo em alguns casos a participação do paciente pode ser apresentada. A atividade é organizada pela PANLAR Jovem, mas isso não significa que nenhum reumatologista possa participar. “Além disso, a participação dos reumatologistas com maior trajetória na especialidade nos dá, com sua experiência e conhecimento, um marco mais valioso para essa atividade. Acreditamos que a participação de todos os reumatologistas da PANLAR é muito valiosa”, garantem.

 

O TJC faz parte dos diferentes projetos da Panlar Jovem, um grupo de estudos sob a tutela da PANLAR formado por reumatologistas praticantes com menos de 40 anos de idade que surgiu em 2018 durante o Congresso Pan-americano realizado em Buenos Aires, na Argentina. Busca agrupar e compartilhar conhecimento para chegar a todos os reumatologistas nos países agrupados na PANLAR. Neste grupo estão cerca de 70 reumatologistas da região com diferentes atividades e projetos, entre os quais está o TJCPANLAR.

 

Até o momento, têm acontecido 10 os TJC PANLAR. A primeira reunião foi realizada em novembro de 2018 com um tema importante dentro da PANLAR, como o das guias latino-americanas para o tratamento do lúpus eritematoso sistêmico (Diretrizes GLADEL). (4,5) “A Covid-19 não mudou substancialmente a operação do grupo. As reuniões sempre foram virtuais, neste sentido esta emergência sanitária não teve um impacto forte. Percebeu-se sim que o aumento do teletrabalho e o maior fluxo de simpósios, seminários e atividades virtuais se expandiram exponencialmente”, apontam.

 

CÓMO PARTICIPAR

 

Para participar basta ter uma conta no Twitter “e colocar todo o interesse”, dizem. Mas se a intenção é conhecer um passo a passo, trata-se de conectar-se a @TJCPANLAR na data e hora combinadas, "a partir daí publicam-se questões desencadeadoras que o coordenador desenvolveu após ter estudado exaustivamente o(s) artigo(s) incluído(s)".

 

As sessões geralmente duram uma hora, com informações prévias sobre o artigo a ser discutido. O coordenador inicia cumprimentando ao público que acompanha a conversa através da etiqueta escolhida (#TJCPANLAR) e em seguida distribui as perguntas e dá tempo para que as pessoas cometem, após terem feito as perguntas. Os assistentes expressam de onde vêm e se têm algum conflito de interesses de acordo com o artigo em discussão e respondem às dúvidas. Normalmente, 3 a 4 perguntas são respondidas durante a hora, mas às vezes surgem mais perguntas da audiência que os coordenadores compartilham com os participantes.

 

Para acompanhar o tópico da discussão, é mais importante incluir a tag #TJCPANLAR em todos os comentários, tanto para responder quanto para fazer qualquer comentário.

 

HISTÓRICO DE #TJCPANLAR 

 

A seguir, é realizada uma recontagem de todos os TJC até o momento, levando-se em consideração que o foco dos clubes da revista Panlar Jovem tem sido a discussão de informações de interesse que têm sido produzidas principalmente na região e que são publicadas em qualquer uma das revistas da especialidade globalmente.

 

  1. Novembro 2018: First Latin American clinical practice guidelines for the treatment of systemic lupus erythematosus: Latin American Group for the Study of Lupus (GLADEL, Grupo Latino Americano de Estudio del Lupus) – PanAmerican League of Associations of Rheumatology (PANLAR).http://dx.doi.org/10.1136/annrheumdis-2018-213512

 

  1. Dezembro 2018: Pan-American League of Associations for Rheumatology-Central American, Caribbean and Andean Rheumatology Association Consensus-Conference Endorsements and Recommendations on the Diagnosis and Treatment of Chikungunya-Related Inflammatory Arthropathies in Latin America https://www.panlar.org/sites/default/files/consenso_chikungunya.pdf

 

  1. Abril 2019: Prevalence of Comorbidities and Risk Factors for Comorbidities in Patients with Spondyloarthritis in Latin America: A Comparative Study with the General Population and Data from the ASAS-COMOSPA Study.Bautista-Molano W, Landewé R, Burgos-Vargas R, et al. Prevalence of Comorbidities and Risk Factors for Comorbidities in Patients with Spondyloarthritis in Latin America: A Comparative Study with the General Population and Data from the ASAS-COMOSPA Study. J Rheumatol. 2018;45(2):206-212. doi:10.3899/jrheum.170520 https://www.jrheum.org/content/jrheum/45/2/206.full.pdf

 

  1. Junho 2019: PANLAR consensus statement on biosimilars.Kowalski SC, Benavides JA, Roa PAB, et al. PANLAR consensus statement on biosimilars [published correction appears in Clin Rheumatol. 2019 May 20;:. Roa PA [corrected to Beltrán PA], Soto LD [corrected to Diaz-Coto JF]]. Clin Rheumatol. 2019;38(5):1485-1496. doi:10.1007/s10067-019-04496-3 https://doi.org/10.1007/s10067-019-04592-4

 

  1. Agosto 2019: Methotrexate Plus Leflunomide Step-Up Therapy in Early Rheumatoid Arthritis Patients with Non-Response to Initial Methotrexate Monotherapy.Carlevaris L, Citera G, Soriano ER, Pellet C, Manzano M, Amaya CG, et al. (2019) Metothrexate Plus Leflunomide Step-Up Therapy in Early Rheumatoid Arthritis Patients with Non-Response to Initial Methotrexate Monotherapy. Rheumatology (Sunnyvale). 9:249. doi: 10.24105/2161-1149.9.249

 

  1. Setembro 2019: Time in remission and low disease activity state (LDAS) are associated with a better quality of life in patients with systemic lupus erythematosus: results from LUMINA (LXXIX), a multiethnic, multicentre US cohort. Ugarte-Gil MF, Pons-Estel GJ, Vila LM, McGwin G, Alarcón GS. Time in remission and low disease activity state (LDAS) are associated with a better quality of life in patients with systemic lupus erythematosus: results from LUMINA (LXXIX), a multiethnic, multicentre US cohort. RMD Open. 2019;5(1):e000955. Published 2019 May 23. doi:10.1136/rmdopen-2019-000955 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6560976/

 

  1. Outubro 2019: Actualización de las guías  de tratamiento farmacológico de la Artritis Reumatoidea del Colegio Mexicano de Reumatología. Actualización de las guías del tratamiento farmacológico de la artritis reumatoide del Colegio Mexicano de Reumatología 2018  http://www.reumatologiaclinica.org//es-actualizacion-guias-del-tratamiento-farmacologico-avance-S1699258X19300798

 

  1. Dezembro 2019: Rheumatoid Arthritis Patient´s Journey, Delay in Diagnosis and treatment. Rosa JE, García MV, Luissi A, et al. Rheumatoid Arthritis Patient's Journey: Delay in Diagnosis and Treatment [published online ahead of print, 2019 Oct 11]. J Clin Rheumatol. 2019;10.1097/RHU.0000000000001196. doi:10.1097/RHU.0000000000001196 https://journals.lww.com/jclinrheum/Abstract/9000/Rheumatoid_Arthritis_Patient_s_Journey__Delay_in.98914.aspx

 

  1. Abril 2020: Situação da reumatologia latino-americana nos tempos de Covid-19. Papel do reumatologista durante a pandemia, estudos clínicos sobre os tratamentos da Covid-19 frequentemente usados ​​em reumatologia. impacto da pandemia na reumatologia.

 

  1. Julho 2020: Prevalence of musculoskeletal disorders and rheumatic diseases in an Argentinean indigenous Wichi community. Juárez, V., Quintana, R., Crespo, M.E. et al. Prevalence of musculoskeletal disorders and rheumatic diseases in an Argentinean indigenous Wichi community. Clin Rheumatol (2020). https://doi.org/10.1007/s10067-020-05130-3 bit.ly/3ettbFS 2.Sánchez E, García de la Torre I, Sacnún M, et al. Effects of Amerindian Genetic Ancestry on Clinical Variables and Therapy in Patients with Rheumatoid Arthritis. J Rheumatol. 2017;44(12):1804-1812. doi:10.3899/jrheum.160485 bit.ly/3eytW0h 3. Peláez-Ballestas, I., Pons-Estel, B.A. & Burgos-Vargas, R. Epidemiology of rheumatic diseases in indigenous populations in Latin-Americans. Clin Rheumatol 35, 1–3 (2016). https://doi.org/10.1007/s10067-016-3298-6 bit.ly/2OrpxBW

 

Referências

 

  1. Linzer M. The journal club and medical education: over one hundred years of unrecorded history. Postgrad Med J. 1987; 63(740): 475–8. doi: 10.1136/pgmj.63.740.475

 

  1. Tacrolimus versus mycophenolate mofetil for induction therapy of lupus nephritis. Rheum JC 2015; Disponible en:  https://rheumjc.com/2015/01/1-tacrolimus-versus-mycophenolate-mofetil-for-induction-therapy-of-lupus-nephritis/ 

 

  1. Twitter Journal Club. Emeunet 2020 Disponível em: https://emeunet.eular.org/emeunet_journal_club_archive.cfm 

 

  1. Pons-Estel BA, Bonfa E, Soriano ER, et al. First Latin American clinical practice guidelines for the treatment of systemic lupus erythematosus: Latin American Group for the Study of Lupus (GLADEL, Grupo Latino Americano de Estudio del Lupus)–Pan-American League of Associations of Rheumatology (PANLAR)Annals of the Rheumatic Diseases 2018; 77:1549-1557. http://dx.doi.org/10.1136/annrheumdis-2018-213512 

 

  1. Fajardo E. Primeras Guías Latinoamericanas de Lupus. Global Rheum Panlar 2020. Disponível em:  https://globalrheumpanlar.org/articulo/primeras-guias-latinoamericanas-de-lupus-216

 

SOBRE A PANLAR JOVEM

 

Outras atividades realizadas pela PANLAR Jovem são:

 

●  O caso do mês. Atividade realizada pelo Twitter que consiste na apresentação de uma imagem de interesse e discussão sobre o diagnóstico e tratamento.

 

●  Copa América PANLAR. Realizado pela primeira vez no congresso anterior de Quito 2019. É uma iniciativa divertida onde são colocados em prática conhecimentos da reumatologia e tópicos gerais, através de um questionário de múltipla escolha e de um concurso por países.

 

● Simpósio PANLAR Jovem. Pela primeira vez, iremos desenvolver esta atividade no âmbito do Congresso PANLAR.

“Atualmente existem vários projetos que estamos planejando com entusiasmo e muito trabalho para o desenvolvimento da PANLAR Jovem”, destacam.

 

O PANLAR Jovem está compreendido por cerca de 70 membros da región.

 

O comité do governo está conformado por:

 

●     Carlos Enrique Toro Gutiérrez, Colômbia @carlostororeuma

●     Nelly Colman McLeod, Paraguai @LeodNelly

●     Sebastián Herrera Uribe, Colômbia @Reuma_Online_

●     Florencia Vivero, Argentina @Florenciaviver4

●     Wilson Bautista Molano, Colômbia @WilsonBautistaM

●     Azalea Rojas, México @Azaleasarai

●     Leandro Ferreyra Garrott, Argentina @LeoFerreyraG

 

Panlar Jovem é um grupo da PANLAR. Uma rede de jovens reumatologistas pan-americanos cujo objetivo principal é consolidar a posição da PANLAR na criação e execução de novos projetos educacionais, de pesquisa, sociais e sindicais na região. É um grupo participativo, inclusivo e inovador que visa contribuir para o desenvolvimento e crescimento contínuo do PANLAR.

 

Os objetivos são construir laços que facilitem a interação entre reumatologistas da região e a promoção da educação entre os diferentes países, contribuir com novas ideias para os próximos cursos PANLAR e #PanlarEdu sob encomenda e cumprimento dos estatutos da PANLAR, recrutar líderes anualmente de todos os países da região para assegurar a renovação constante do grupo, contribuir para o desenvolvimento de um perfil dedicado às redes sociais e promover a pesquisa na reumatologia na região pan-americana.

 

Aqueles que desejam obter mais informações nesse respeito podem entrar em contato com [email protected]

enviar Envía un artículo